Polícia prende em Alagoas suspeito de matar mulher e esconder corpo dentro de geladeira em Bragança Paulista

A Polícia Civil de Alagoas prendeu um homem de 29 anos suspeito de matar a companheira e esconder o corpo em uma geladeira em Bragança Paulista. A vítima foi encontrada morta em uma estrada perto de um sítio no dia 19 de maio. Segundo as investigações, para ocultar o corpo de Camila Araújo dos Santos, o homem contou com a ajuda da ex-companheira.

Após o crime, o homem, que não teve a identidade divulgada, fugiu para Maceió, onde ficou escondido até ser preso na quarta-feira (25), no bairro Cidade Universitária.

Segundo a polícia, quando o suspeito era casado, tinha um envolvimento amoroso com a vítima. Ele se separou da esposa e passou a morar com outra mulher. Após um tempo de relacionamento, Camila desapareceu repentinamente, foi quando sua família registrou Boletim de Ocorrência no dia 14 de maio sobre o seu desaparecimento.

O corpo da vítima foi encontrado sem roupas e com o rosto bastante machucado.

A ex-mulher do suspeito esteve na delegacia para confessar que participou da ocultação do cadáver de Camila após ser coagida. Ela contou aos policiais que o homem ligou no dia 13 de maio dizendo que tinha agredido a ex por causa de ciúmes.

Segundo o relato da ex-companheira do suspeito, ela foi ao local e viu várias manchas de sangue na porta de um dos quartos, mas não viu a vítima. No dia seguinte, quando voltou à residência, o homem confessou que Camilia estava morta e que escondeu o corpo dela na geladeira.

Os dois levaram o corpo da vítima em um carro de aplicativo dentro do porta-malas até a casa da ex-mulher e depois o abandonaram às margens de uma estrada.

“Imediatamente, iniciaram-se as diligências investigativas na tentativa de localizar o homicida foragido. Após dois dias de intensos trabalhos, contatos e levantamento de informações, o alvo foi localizado e encaminhado à DEIC para confecção dos procedimentos cartorários e comunicação do cumprimento da prisão cautelar ao Poder Judiciário”, afirmou o delegado Filipe Caldas.

Fotos: Polícia Civil

Por g1

Deixe um comentário