Polícia e Prefeitura buscam alternativas para conter assassinatos em Cruzeiro

Reunião discute plano de medidas de Segurança Pública; município é o terceiro com mais vítimas na região

Reunião com a presença do prefeito de Cruzeiro, Thales Gabriel, para tratativas da segurança da cidade (Foto: Divulgação PMC)

Buscando alternativas para conter a onda de assassinatos que atinge Cruzeiro em 2021, representantes da Prefeitura e das polícias Civil e Militar participaram de uma reunião na última terça-feira (14) para discutirem estratégias e ações conjuntas. Terceira cidade da região mais violenta no ano, Cruzeiro registra em dezembro seis homicídios dolosos (quando existe a intenção de matar) num período de apenas 12 dias.

Além do prefeito Thales Gabriel Fonseca (PSD), o encontro no gabinete contou com as presenças de diversas autoridades municipais e regionais em Segurança Pública. Representando a Polícia Civil, participaram o diretor do Deinter 1 (Departamento de Polícia Judiciário do Interior), Célio José da Silva, o delegado titular da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Cruzeiro, Sando Franqueira, e a delegada seccional de Cruzeiro, Sandra Vergal.  Já a Polícia Militar, foi representada pelo comandante do 23º BPMI (Batalhão da Polícia Militar do Interior), tenente coronel José Ronaldo Andrade, o comandante do Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia), Sergio Silva, o comandante da 4ª Companhia de Cruzeiro, capitão Tiago Evilásio e o secretário de Segurança Pública de Cruzeiro e ex-delegado, José Antônio de Paiva. O grupo discutiu ações que poderão ser implementadas para tentar frear o avanço de mortes violentas na cidade.

De acordo o Executivo, o prefeito se colocou à disposição na busca por recursos junto ao Governo do Estado e para realizar melhorias na infraestrutura de pontos da cidade em que as polícias Civil e Militar apontem propensão para a ocorrência de novos assassinatos.

Paiva revelou que outra medida apresentada pela Prefeitura foi o andamento do projeto de reformulação da Guarda Civil Municipal, que possibilitará que em breve os agentes passem a atuar armados. Durante a reunião, as autoridades municipais e policiais trataram ainda sobre a necessidade de interligar as setenta câmeras do COI (Centro de Operações Integradas) de Cruzeiro ao sistema Detecta, ferramenta de monitoramento inteligente do Estado, capaz de identificar placas de veículos roubados e até mesmo realizar o reconhecimento facial de criminosos procurados pela Justiça.

De acordo com o secretário de Segurança Pública de Cruzeiro, existe a intenção de que o Detecta abranja todo o Vale Histórico (sub-região de Cruzeiro), inclusive as divisas com os estados de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.

Já na área social, a atual gestão municipal revelou na reunião que intensificará o oferecimento de atividades culturais e esportivas nos bairros com maior índice de violência, com o objetivo de afastar os jovens da criminalidade.

A expectativa do Executivo e das autoridades policiais é que o plano de ações leve a redução de mortes violentas na cidade, que de acordo com dados da SSP (secretaria de Segurança Pública do Estado) contabiliza trinta vítimas de assassinato entre janeiro e outubro deste ano. O número é 25% superior ao registrado no mesmo período de 2020, que foi de 24 casos. O montante coloca o município como o terceiro mais violento da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte), ficando atrás apenas de Taubaté (42) e de São José dos Campos (40).

Para discutirem o andamento dos projetos de Segurança e definirem ações conjuntas de combate à criminalidade, os representantes da Prefeitura e das polícias Civil e Militar deverão participar de novas reuniões ao longo de 2022.

Dezembro – Assim como os meses anteriores, dezembro também sido sangrento em Cruzeiro. Com seis assassinatos até a última sexta-feira (17), a cidade enfrenta um momento crítico. Entre os casos, os dois mais recentes foram registrados no último dia 12. O primeiro ocorreu por volta das 20h30 no bairro Itagaçaba, vitimando Márcio Ramos Vieira, 43 anos, que caminhava por um trecho da Rua 1, quando foi surpreendido pelos ocupantes de um carro. Na sequência, um dos criminosos efetuou oito disparos de arma de fogo contra o pedestre, que morreu no local.

A Polícia Civil de Cruzeiro abriu um inquérito para tentar identificar o assassino e a motivação do crime.

Já o outro caso, ocorreu por volta da meia-noite na região central. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima, Wellington Charles Avelar, que tinha 19 anos, conversava com amigos num quiosque na praça 9 de Julho, quando foi surpreendido por um atirador. Armado com um revólver, o adolescente de 16 anos efetuou diversos disparos contra Avelar, que chegou a ser encaminhado à Santa Casa de Cruzeiro, mas morreu logo após dar entrada na unidade.

O crime foi flagrado pelas câmeras e pela equipe do COI. Com as informações transmitidas, a PM conseguiu apreender o assassino na praça Matriz, no Centro.

Encaminhado ao 2º Distrito Policial, o menor infrator permaneceu à disposição da Justiça. Além de receptação, o adolescente já havia sido apreendido também por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Por Lucas Barbosa | Jornal Atos

Deixe um comentário