VÍDEO: Vereador de Taubaté chama médico de lixo e o convida pro ‘ringue’; médico pede cassação

Médico alega que vereador o ameaçou na unidade médica e que reiterou as ameaças no plenário da casa. Vereador alega que médico tem atitudes incompatíveis com função que exerce

vereador Adriano Tigrão (Cidadania) durante discurso no plenário da Câmara (Foto: Reprodução/ TV Câmara Taubaté)

Os advogados representantes de um médico envolvido em uma discussão com o vereador Adriano Tigrão (Cidadania) protocolaram, nesta quarta-feira (10), um pedido de cassação do vereador por quebra de decoro. Em discurso no plenário da casa o vereador chamou o médico de “lixo” e o convidou a o enfrenta-lo em um ringue. (veja o vídeo abaixo).

Em representação protocolada ao presidente da casa, os advogados do médico pediram a quebra do decoro parlamentar pela “prática de atos incompatíveis com o exercício do mandato parlamentar”.

O médico, que atua na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Central e o vereador se envolveram em uma discussão na última quarta-feira (3). Ambos registraram boletins de ocorrência sobre o caso.

O médico alega que o vereador entrou em seu consultório, o ameaçou e tentou agredi-lo, exigindo que o doutor realizasse o exame para detecção da Covid-19 em uma paciente assintomática, fora do protocolo do Ministério da Saúde.

Já o vereador alega que foi até a UPA pare orientar um munícipe e que o doutor teria o agredido com palavras. Ele ainda afirma que não entrou no consultório do médico, tendo como prova guardas municipais, e que o médico tem atitudes incompatíveis “com a nobre função que exerce”, sendo acusado por uma munícipe de ter a maltratado.

“Esse sentimento de indignação, de quem não aceita que a população pobre seja humilhada por quem acredita ser intelectualmente superior, foi que motivou meu desabafo durante sessão na Câmara Municipal”, disse o vereador em nota enviada a OVALE.

DISCURSO

O vereador Adriano Tigrão (Cidadania), durante discurso em sessão na Câmara, nesta terça-feira (9), relatou o caso em tom exaltado, alegando que o médico “maltrata os munícipes” é “desqualificado”, um “zé ninguém” e “lixo”.

“O senhor quis me desqualificar, o senhor quis me maltratar porque eu sou um simples cidadão que venceu na vida, mas eu estava com a lei debaixo do braço, porque eu fui escolhido pela população”, disse em trecho do discurso.

Após o discurso, os representantes do médico afirmaram que o vereador reiterou as ameaças no plenário da Câmara, afirmando que “fica gravado aí pra você doutor, aqui é pau na madeira, é Água Quente” e “se aguarde, o que é seu está guardado”.

Por O Vale

Deixe um comentário