Caso João Pedro: Mãe e padrasto acusados de matar criança serão julgados por júri popular em Cruzeiro

Crime ocorreu em janeiro de 2019 e chocou os moradores de Cruzeiro; júri foi marcado para a quarta-feira (24). Os réus permanecem presos.

Mãe e padrasto acusados pela morte de um menino de três anos vão ser levados a júri popular hoje quarta-feira (24) em Cruzeiro.

Os dois são acusados de matarem e enterrarem o filho da mulher às margens de uma rodovia da cidade. O crime ocorreu em janeiro de 2019 e chocou os moradores.

O júri estava marcado para março deste ano, mas foi adiado por causa da pandemia. Um novo julgamento foi marcado para esta quarta-feira (24), às 9h30.

Taís Aparecida Albano e Mauro Gleydson Lima Aguiar foram presos dois dias após o crime. Na ocasião, a polícia suspeitou após imagens do desaparecimento de João Pedro Albano Ribeiro viralizarem nas redes sociais e a família não registrar o boletim de ocorrência.

Local onde a criança foi encontrada enterrada, na Avenida Floriano Antico em Cruzeiro — Foto: Divulgação/DIG
Foto: Divulgação/DIG

Os dois foram presos na casa onde moravam, no bairro Vila Brasil. Durante o interrogatório, o casal confessou o crime e indicou o lugar onde a criança havia sido enterrada, na Avenida Floriano Antico, próximo ao trevo da SP-52, na Vila Ana Rosa Novaes.

Aos policiais, a mãe da criança teria admitido ter dado “palmadas”, mas chegou a negar as agressões. Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a João Pedro tinha fraturas e ferimentos no rosto, braço e pernas.

Durante o processo, Tais chegou a pleitear a instauração de incidente de insanidade mental, que foi negada pelo juiz. A dupla, que permanece presa, será ser julgada por homicídio qualificado por motivo fútil, utilizando-se de meio cruel a menor de 14 anos, e ocultação de cadáver.

Deixe um comentário