Ballerini assina ordem de serviço para início de pavimentação no Vila Rica em Lorena

Convênios de Lorena com o governo federal ultrapassam o valor de R$ 800 mil; conclusão do serviço tem previsão para abril

Moradora do bairro Vila Rica em uma das ruas sem pavimentação; prefeito assina ordem de serviço para o núcleo (Foto: Gabriel Mota)

Reivindicação de longa data em Lorena, a pavimentação de um trecho do bairro Vila Rica deve ser iniciada na próxima semana. O prefeito Sylvio Ballerini (PSDB) assinou na última quarta-feira (3) duas ordens de serviço para começo imediato.

O investimento parte de convênios firmados com o governo federal por intermédio do deputado Eduardo Cury (PSDB) e do vereador Bruno Camargo (DEM) chega a R$ 832,7 mil.

De acordo com a secretária de Obras e Planejamento, Rosana Reis, a primeira ordem de serviço, no valor de R$ 352,1 mil, contempla as ruas Israel, Egito, França e, parcialmente, as ruas Alemanha e Dinamarca. O prazo para a instalação dos blocos sextavados, que será realizada pela empresa Eskelsen, é de quatro meses.

A outra ordem de serviço, no valor de R$ 480,6 mil, garante a pavimentação parcial, com asfalto, da avenida México e as ruas 26 de Agosto e Panamá. Enquanto também instala blocos sextavados em trechos das ruas Alemanha, Inglaterra e Dr. João Pinto Antunes (a última, no Vila Geny). Para o trabalho, o prazo é de cinco meses, e a empresa vencedora foi a JB do Nascimento.

A pavimentação é sonho antigo dos moradores, como relatou a costureira Maria do Carmo da Cunha (58), que se mudou para o bairro há cerca de um ano, mas que há oito iniciou a construção da casa com seu esposo. O casal tem um filho. “Aqui, quando não chove, é poeira demais. Quando chove, é barro demais. E a gente não tem para onde sair, fica totalmente preso dentro de casa. Porque você vai andar pelo mato e está arriscado encontrar cobras. Você vai pela rua e é lama, está arriscado escorregar, cair e sofrer alguma fratura” descreveu Maria do Carmo.

Além da locomoção prejudicada pelo estado das vias, muitos entregadores, até mesmo carteiros, esbarram na falta de identificação das ruas e os moradores relatam dificuldade em receber esses serviços.

Mesmo com receio, Maria do Carmo espera que a pavimentação seja concluída dentro do prazo estipulado. “A gente espera né. Temos que pagar para ver, faz muitos anos que pedimos isso. Alguns vizinhos estão vendendo os terrenos, porque não estão confiando que vai ter a pavimentação aqui”

Embora a ordem de serviço seja para início imediato, há um prazo para que as empresas desloquem o maquinário e o material ao bairro. As obras devem se iniciar na próxima semana. Os fatores climáticos também podem alterar o começo dos trabalhos.

Rosana Reis ressaltou que outras ruas já estão inclusas em uma licitação que deve ocorrer neste mês. “No dia 22 vai sair uma nova licitação que vai contemplar a outra parte das ruas Alemanha e Inglaterra e as ruas Marrocos, Holanda, Bélgica, Pedro Américo, Abílio Pereira e Miguel Rodrigues Santiago (as duas últimas no Aterrado). Acredito que o início das obras ocorra só no ano que vem”.

A secretária informou que também há projetos para a zona rural. “Teremos uma licitação na estrada do Pedroso, no trecho entre o começo e o final do loteamento do bairro Novo Horizonte. Acredito que nesse ano a gente consiga liberar essa licitação”.

Por Gabriel Mota | Jornal Atos

Deixe um comentário