Avião bimotor cai e desaparece no mar em proximidades de Ubatuba com três pessoas a bordo

Mães do piloto e do copiloto comentam o caso, confira; a aeronave está desaparecida desde quando passou pela Costa Verde do Rio de Janeiro

Destroços de uma aeronave foram encontradas pela Força Aérea Brasileira no início desta quinta-feira, as autoridades tentam ligar os materiais ao avião desaparecido (Reprodução)

Um avião bimotor caiu no mar nas proximidades de Ubatuba na noite da última quarta-feira (24), as autoridades foram chamadas para atender a ocorrência por volta das 23h40.

A aeronave partiu da cidade de Campinas em torno das 20h30 e deveria chegar ao Aeroporto de Jacarepaguá (RJ) por volta das 21h. O avião foi dado como desaparecido ao passar pela Costa Verde do Rio de Janeiro, região de Paraty e Trindade, área vizinha de Ubatuba, no litoral paulista.

De acordo com as informações dadas pelo CB (Corpo de Bombeiros), o local da queda foi registrado na manhã desta quinta-feira (25) pela FAB (Força Aérea Brasileira). 

Iniciada às 4h15 desta quinta, a utilização de óculos de visão noturna foi necessária para encontrar a localização do acidente. Por volta das 6h30, a FAB localizou supostos destroços da aeronave no mar e informou que a localização foi repassada aos órgãos de busca marítima.

Banco de aeronave (Reprodução)
Banco de aeronave (Reprodução)

A operação de resgate continua sendo realizada em parceria dos bombeiros da GBMar (Grupamento de Bombeiros Marítimos) com a Marinha, a Capitania dos Portos e a Defesa Civil. Segundo as corporações, a chamada foi para o atendimento de “problemas técnicos” em uma aeronave.

Até o momento, as equipes buscam localizar os ocupantes do voo para esclarecer a situação e/ou o desaparecimento do bimotor. Em caso de atualização, OVALE modificará a matéria.

No momento, acontece uma operação de resgate dos bombeiros com auxílio da Marinha, da Capitania dos Portos e da Defesa Civil (Reprodução)
No momento, acontece uma operação de resgate dos bombeiros com auxílio da Marinha, da Capitania dos Portos e da Defesa Civil (Reprodução)

Piloto

A mãe do piloto informou que haviam três pessoas a bordo da aeronave: o piloto, o copiloto e um tripulante. Acredita-se que o pouso na água tenha sido feito em caráter de emergência.

Copiloto

A mãe e a namorada de José Porfírio de Brito Júnior, copiloto e proprietário da aeronave, disseram, nas redes sociais, que não obtiveram contato com o rapaz desde às 21h. Elas alegam que, provavelmente, a queda foi a 15 km da costa de terra — o embasamento dessa alegação não foi apurado pelas autoridades.

“Chegamos em Paraty agora, às 5h da manhã. Soubemos da queda do avião ontem as 21h10. Foi acionado todos os órgãos para fazer a busca. Tudo desencontrado, um sabia de nada, o outro também não sabia de nada. A gente ligou para a capitania dos portos, vários órgãos, Salvaero… Só ia começar a busca agora pela manhã, porque não era de jurisdição de um e outro”, disse a mãe do copiloto em vídeo enviado ao telejornal ‘Bom dia SP’, na manhã deste dia 25.

“O helicóptero iria sair da base aérea às 3h da manhã porque teve que ser acionada a equipe. Teve pane e só saiu 4h17. Chegou aqui e vamos tentar alugar barco e ir onde estão as coordenadas que nos falaram da queda”, complementa a mãe do rapaz, dizendo que alugaria uma embarcação para ir até onde o avião do filho supostamente caiu.

Por Patrick C. Santos | O Vale

Deixe um comentário