Mayra Pinheiro registra ocorrência contra chefe de gabinete de Queiroga

A médica e secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, registrou um boletim de ocorrência contra João Lopes de Araújo Júnior, chefe de gabinete do ministro Marcelo Queiroga. Conhecida como Capitã Cloroquina, Pinheiro diz ter sido ameaçada e acusada por João Lopes em conversas de aplicativo por estar supostamente atuando pela demissão de Queiroga. 

A informação foi obtida pela rádio CBN e confirmada pela reportagem com a Polícia Civil. Segundo o boletim de ocorrência, João, por mensagens, diz que Mayra está “cometendo um crime” e que ela “não tem qualquer lealdade ao ministro”. Ele ainda afirma que “conhece todos os nomes envolvidos nessa tentativa de retirada do ministro”. Por fim, João diz para Mayra ter cuidado, pois “vai ver a mão de Deus sobre ela”. O caso foi registrado na Polícia Civil do Distrito Federal.

A Polícia Civil confirmou a ocorrência policial e respondeu a reportagem que o caso foi repassado à Polícia Federal por envolver dois servidores públicos. 

“A Polícia Civil do DF informa que houve o registro dos fatos em ocorrência policial junto à Delegacia Eletrônica. Tal registro foi encaminhado para apuração pelo Departamento de Polícia Federal conforme despacho que se segue: ‘Tanto a vítima como o possível autor são servidores públicos federais e o possível crime de ameaça teria ocorrido em razão do exercício de suas funções, o que atrai a competência da Justiça Federal, conforme Súmula 147, do STJ.  Diante do exposto, determino o encaminhamento do presente expediente ao DPF.’”

Uma cópia do boletim de ocorrência foi solicitada pela CPI da Pandemia na sessão desta 5ª feira (7.out). Mayra Pinheiro é conhecida como Capitã Cloroquina por promover o “tratamento precoce” com remédios sem comprovação científica para a covid-19. 

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Deixe um comentário