Cruzeiro aposta em cronograma do Estado para iniciar obras do Hospital Regional até maio

Plano Assistencial de Saúde regional deve ser divulgado no próximo dia 15; cidade teme interrupções pelo período eleitoral

Área do Recinto de Exposições de Cruzeiro, que deve receber o início das obras do novo HR até maio de 2022 (Foto: Divulgação PMC)

Cruzeiro segue na expectativa de iniciar as obras do Hospital Regional no primeiro semestre de 2022. O Estado e o Município definiram a data para entrega do Plano Assistencial de Saúde e prazos para ordem de serviço. Anunciado em maio, o projeto deve contar com aproximadamente R$ 100 milhões de investimentos para ofertar cerca de 170 leitos a região.

Após uma nova reunião com o governador João Doria (PSDB), representantes do Estado e prefeitos da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) pelo Codivap (Consórcio de Desenvolvimento Integrado do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Mantiqueira), o prefeito Thales Gabriel Fonseca (PSD), tem até o dia 15 deste mês para receber o Plano Assistencial de Saúde da região para compor o projeto executivo e toda a parte de engenharia do empreendimento.

No mesmo dia deve ser anunciado o Tripé da Saúde, com o fortalecimento das santas casas de Lorena e Guaratinguetá.

De acordo com Fonseca, o prédio seguirá o modelo do hospital de Registro e contar com 15 mil m² de área construída, em torno sete andares e 168 leitos. “Foram deliberadas algumas frentes de trabalho. A primeira delas para agora final de setembro, que é a procuradoria do estado de São Paulo na transferência do imóvel (Recinto de Exposições) da secretaria de Agricultura para a Saúde”, explicou o chefe do Executivo, ao afirmar que já receberam documentos com parecer favorável a transferência”.

Espaço deve ter prédio de sete andares e 15 mil m² de área construída; investimento de aproximadamente R$ 1 milhão (Foto: Rafaela Lourenço)

Com foco no período eleitoral e nos possíveis entraves, os trabalhos seguem para a abertura do processo licitatório até o fim do ano e a ordem de serviço até maio. “O prazo fatal para colocar na rua o processo licitatório é o mês de janeiro. Então nós podemos contar com três meses, que está sendo um prazo bem longo até ter o processo, recursos, e a assinatura do contrato”, frisou.

Para não sofrer interrupções durante o processo eleitoral, as expectativas são de que a ordem de serviço seja emitida até o dia 22 de maio.

As obras devem contar com um prazo de 24 a 30 meses para conclusão. Já a entrega dos leitos e serviços deve ser feita de forma gradativa.

Por Rafaela Lourenço | Jornal Atos

Deixe um comentário