“CEI da Covid-19” tem investigação comandada por bancada feminina em Cachoeira Paulista

Vereadoras apuram se ex-prefeito Edson Mota aplicou corretamente recurso federal na Saúde; falta de estrutura do setor levanta suspeitas

Vereadoras Thalita, Adriana Vieira e Rogéria compõe bancada da Cei em Cachoeira Paulista (Foto: Arquivo Atos)

A população de Cachoeira Paulista conheceu na noite da última terça-feira (5) a composição da CEI (Comissão Especial de Inquérito) que investigará possíveis irregularidades cometidas pela gestão do ex-prefeito Edson Mota (PL), na utilização de verbas federais destinadas ao enfrentamento à pandemia da Covid-19. Pela primeira vez na história do município, a Câmara terá um grupo de investigação formado apenas por vereadoras.

Durante entrevista ao programa Atos no Rádio na última quinta-feira (7), Adriana Vieira (PTB), revelou que presidirá a CEI contra Mota, instaurada na sessão da última terça-feira (5). Já a função de redatora será exercida pela vereadora Rogéria Lucas (PODE), e a de membra pela parlamentar, Thálitha Barboza (PT).

O trio iniciou nesta semana o trabalho de apuração se a gestão do ex-prefeito aplicou corretamente e integralmente um recurso federal de R$ 3,626 milhões no reforço da estrutura do setor da Saúde, em meio à pandemia em 2020. “Pelo fato de ser composta por três mulheres, esta comissão é histórica para Cachoeira. A abertura desta CEI atende a um pedido da população, que deseja saber no que foi utilizada essa verba, já que aparentemente não houve grandes investimentos em estrutura, como abertura de leitos e melhorias na Santa Casa. Caso seja verificada alguma irregularidade, apontaremos no relatório final”, explicou Adriana.

O pedido de abertura da CEI foi assinado pelos vereadores Felipe Piscina (DEM), Angela Protetora (MDB), Luiz Gonzaga, o Brejão (PSC), Maximíllio de Barro, o Max (DEM) e Rodolpho Borges, o Rodolpho Veterinário (REDE). Colocada em votação na sequência, a proposta foi aprovada por unanimidade.

Em relação à eleição para a composição da comissão, os vereadores Max e Ilwanderson de Oliveira, o Nenê do São João (PSB), pediram para não serem escolhidos. Enquanto o primeiro alegou que já compõe outra CEI, o outro argumentou que seria interessante a seleção de parlamentares que estão em seu primeiro mandato.

De acordo com Adriana, a expectativa é que a primeira reunião da comissão seja realizada até o fim da próxima semana, definindo as estratégias e procedimentos que serão adotados durante o trabalho investigativo.

Por Jornal Atos

Deixe um comentário