Ana Alice e André Monteiro: agressão, ataques, e Câmara de Aparecida refém de guerra particular

Ação, flagrada em vídeo ao vivo no Facebook, mostra confronto entre Ana Alice e André Monteiro; demora de comissões gerou novo atrito

Presidente da Câmara de Aparecida, Ana Alice, é acusada de agressão  após sessão marcada com confusões (Foto: Arquivo Atos)

A política de Aparecida teve mais um episódio polêmico nesta segunda-feira (18). A presidente da Câmara de Aparecida, Ana Alice Braga Vieira (Podemos), agrediu o vice-presidente da Casa, André Monteiro, o Padrinho (Patriota), após sessão marcada por novas discussões entre os parlamentares. Toda discussão foi flagrada e transmitida em uma live no Facebook.

A confusão começou durante a sessão, quando a chefe do parlamento alegou que 12 projetos aguardam os pareceres das comissões permanentes para entrar em pauta, entre eles, propostas de urgência do Executivo, que pedem remanejamento de verbas para o pagamento dos funcionários públicos. Monteiro é presidente da Comissão de Justiça e Redação, acusado de atrasar o trâmite no Legislativo.

Após o debate no plenário, o parlamentar seguiu na Casa e garantiu à reportagem do Jornal Atos que teria iniciado a transmissão após o filho da presidente, que estava na porta da Câmara, ameaçá-lo. “No momento da live estava ligando para Polícia Militar para que eu pudesse resguardar a minha segurança, e infelizmente vim a sofrer essa agressão por parte da presidente, não só ameaça, mas agressão de fato”, contou.

Ainda segundo Monteiro, o caso será encaminhado à Justiça. “Registrei um boletim de ocorrência, fiz exame de corpo de delito e pretendo levar para as vias judiciais agora”, completou o vereador.

A reportagem entrou em contato com a chefe do Legislativo. Questionada sobre a agressão, Ana Alice disse que Monteiro “gosta de atormentar mulheres” e que também vai processar o vice. “Ele começou a me filmar e eu não queria que fosse filmada. Ele é ‘um marica’ (sic), é um covarde, eu vou enfrentar o André! Eu não fui agredir nada, ele se doeu lá, mas foi uma coisa inventada, entendeu? Se fez de agredido para se fazer de vítima. É um covarde, é isso que ele é” afirmou Ana Alice em tom forte.

Vice-presidente participa de encontro polêmico com possível agressão (Foto: Reprodução CMA)

Mesmo alegando que não o agrediu, o vídeo publicado por Monteiro mostra Ana Alice tentando tirar da mão dele o celular. Acuado, o parlamentar subiu as escadas da entrada do salão de entrada da Câmara e ao plenário, onde a confusão prosseguiu aos gritos. “Correndo de mulher, tá com medão (sic)”, provocou Ana Alice, que desferiu tapas no braço de André Monteiro.
“Socorro! Estou sendo agredido. Aciona o 190, vocês estão loucos. A senhora bateu em mim”, acusou o vereador.
“Bati e vou bater na sua cara, seu vagabundo”, respondeu a presidente.

Funcionários, guardas da GCM (Guarda Civil Militar de Aparecida) e assessores separaram os parlamentares.

Histórico – Em agosto deste ano, Monteiro encaminhou uma representação contra a chefe do Legislativo, dando início ao processo para destituição da parlamentar do cargo. Ana Alice foi acusada de não convocar os secretários de Obras e Saúde, solicitadas por requerimentos aprovados na Câmara.

Em 16 de agosto, o próprio parlamentar retirou de pauta o projeto de resolução que pedia a destituição da vereadora do cargo de presidente do Legislativo, após o secretário de Obras, Ricardo Alessandro Henrique da Silva, comparecer ao plenário para responder as perguntas dos parlamentares.

No dia 20 de setembro, 5 dos 9 parlamentares abandonaram o plenário após um dos projetos, que seria votado, não ser colocado na pauta por Ana Alice. A expectativa era votar a antecipação da eleição à mesa diretora da Casa.

Sete dias depois, uma sessão extraordinária foi realizada e foi aprovada a antecipação das eleições da mesa. O caso foi judicializado e segue sem definição.

Por Marcelo Augusto dos Santos | Jornal Atos

Deixe um comentário