Ex-Twister é internado em clínica de reabilitação: ‘Não vou morrer’

‘Eu não vou perder para as drogas’, desabafou o músico Sander Mecca em vídeo publicado nas redes sociais 

Artista abriu o coração e falou sobre a necessidade em buscar ajuda profissional
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Sander Mecca, ex-integrante do Twister —banda que ficou conhecida no final dos anos 1990—, revelou aos seguidores, na noite de quinta-feira (12), que decidiu voltar para uma clínica de reabilitação por conta das drogas. O artista abriu o coração e falou sobre a necessidade em buscar ajuda profissional. 

O músico relembrou o período em que foi preso por tráfico e lamentou a perda de trabalhos por conta do vício. Além disso, o artista destacou que não vai desistir de lutar pela própria vida. “Eu já perdi minha liberdade, oportunidades de trabalho, chance de caminhar com pessoas que amavam. Eu magoei amigos, perdi amigos, ou seja, falta o quê? A morte? Eu não vou morrer por causa das drogas. Eu não vou perder para as drogas”, começou. 

“Pessoas me alertaram pedindo para eu voltar para clínica. O importante é que estou aqui com mais uma chance. Vou ficar o tempo necessário. Preciso aceitar que minha vida é limitada, como se eu precisasse de cadeira de rodas. Evitar lugares, pessoas, hábitos. A recaída começa com o desvio de comportamento. A minha saúde não aguenta mais, eu não aguento mais”, completou. 

“Um dia eu estava em uma festa e me pegaram com 10 comprimidos de ecstasy, 10 de LSD, um pouco de cocaína e um baseado. Depois eu fui preso e condenado na primeira instância como traficante. Rasguei todo o meu dinheiro com drogas, bebidas e baixarias”, disse Sander, à época. 

Deixe um comentário