Cachoeira Paulista: MP decidiu abrir um Inquérito Civil, após repercussão do caso envolvendo os vereadores Max, Piscina e o médico Coragem

O MPSP – Ministério Público de São Paulo, emitiu parecer sobre o caso que envolveu os vereadores Felipe Stefano Cabral (Felipe Piscina), Maximiliano Miranda Gonçalves de Barros (Max Barros) e o médico Rodrigo Coragem no dia 29 de marco de 2021, quando o médico estava em horário de descanso na Santa Casa de Cachoeira Paulista.

Segundo o MP, a Promotoria de Justiça analisou a possível prática de Improbidade Administrativa dos vereadores, após invadirem o quarto do médico plantonista Rodrigo Coragem, que descansava após um plantão de 36 horas sem pausa, alegando que o profissional estava dormindo e se recusando a atender os pacientes na sala de espera.

A ação dos vereadores na época dos fatos causou revolta entre a população e ganhou ainda mais repercussão na mídia e redes sociais, com críticas aos vereadores.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 704b8aa2fe5640fea1de25ebe3de4597-0001.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 704b8aa2fe5640fea1de25ebe3de4597-0002.jpg

Por Redação

Fotos: Redes Sociais

Deixe um comentário