Estado de SP assume compromisso com a ONU de zerar emissão de poluentes até 2050

Governador João Doria assinou nesta terça-feira (20) um decreto em que o estado de São Paulo assume o compromisso de zerar a emissão de gases do efeito estufa. Primeiras ações serão elaborar relatórios.

O governador João Doria assinou nesta terça-feira (20) um decreto em que o estado de São Paulo assume o compromisso de zerar a emissão de gases do efeito estufa até 2050 — Foto: Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo/Reprodução
Foto: Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo/Reprodução

O governador João Doria assinou nesta terça-feira (20) um decreto em que o estado de São Paulo assume o compromisso de zerar a emissão de gases do efeito estufa até 2050, aderindo a campanhas da Organização das Nações Unidas (ONU).

O objetivo das campanhas “Race to Zero” e “Race to Resilience” é mitigar os efeitos das mudanças climáticas por meio de um esforço conjunto entre líderes de governos, empresas, cientistas e a sociedade civil.

No Palácio dos Bandeirantes, o secretariado, ambientalistas e organizações internacionais prestigiaram o anúncio. Doria participou virtualmente do evento de assinatura do decreto, pois testou positivo para a Covid-19 pela segunda vez e trabalha de casa.

“Nos nossos compromissos, eu elenco cinco pontos importantes: 1) a eletrificação em substituição ao consumo de combustíveis fósseis, e a valorização do etanol combustível, 2) a eficiência sistêmica como um projeto de rede elétrica inteligente que já está sendo implantado no bairro da Vila Olímpia, 3) o desenvolvimento dos combustíveis avançados, como os associados ao hidrogênio, 4) a prevenção a eventos climáticos e respostas a desastres naturais no estado de SP, e 5) o financiamento das ações que englobam tanto a participação do poder público quanto empresas privadas”, disse Doria.

Primeiras ações

De acordo com o governo do estado, os primeiros passos são a elaboração de metas e soluções.

A expectativa é de que o “Plano de Ação Climática Net Zero 2050” seja publicado em até 12 meses, enquanto o relatório “Ações Prioritárias da Trajetória de Descarbonização de São Paulo” está sendo construído em uma parceria entre a Secretaria de Insfraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) e a Coalizão Under 2, comunidade global de governos comprometidos com ações climáticas alinhadas com o Acordo de Paris.

Um documento chamado “Diretrizes e Ações Estratégica” também estará disponível na internet a partir desta quarta-feira (21) para sugestões da sociedade até 31 de setembro.

O decreto também determina que o estado elabore a Análise de Riscos e Vulnerabilidade Climática, que será detalhada em um Plano de Adaptação Climática, com previsão de entrega em 18 meses.

Também está em curso o projeto “Municípios Resilientes”, que apoia a elaboração dos Planos Municipais de Adaptação Climática, utilizando a base de geodados do estado em parceria com a agência de cooperação alemã, GIZ.

Há uma semana, a União Europeia (UE) revelou um abrangente plano para combater as mudanças climáticas e iniciar um processo de “descarbonização” da sua economia. Entre as medidas apresentadas para o bloco de 27 países da Europa estão a criação de uma taxa sobre as emissões de carbono em produtos importados e um maior incentivo a fontes renováveis.

Deixe um comentário